sábado, junho 18, 2011

Falta, sinto.


Esses dias andei dessenterrando o que estava aqui dentro. Paixões, amores, alegrias, lembranças, lágrimas, raivas...
É triste perceber que os melhores anos da vida já se foram. Nada vai ser como naquela época onde sentir frio na barriga todo dia de manhã era a coisa mais natural do mundo! E onde está o frio na barriga agora? Não está.
Cadê aquela alegria estonteante de saber que os dias eram longos e cheios de nenhuma preocupação? Ca-dê?
Trago dentro de mim a fúria da juventude. Aqui, guardada a sete chaves, rebelde, querendo sair! Mas o tempo passa e a gente vai ficando tímido. Não sabe mais dizer o que pensa, preocupado com o que os outros pensam. E isso é uma grandissima merda!
Sinto falta do que a vida era. Sinto falta das madrugadas frias, das ligações perdidas e do corpo cansado no dia seguinte. Sinto falta do cheiro forte do perfume francês, sinto falta das balas de melão, sinto falta do meu JD, dos meus planos, dos minhas paixões, dos meus amores, das minhas alegrias, das minhas lembranças, das minhas lágrimas, dos meus amigos, do que eu fui.
E do que eu ainda sou, mesmo amordaçada pelo tempo...
Sofrerei com essa juventude entalada em mim em forma de nó na garganta para sempre, creio eu. Péssima descoberta.

Um comentário:

.bárbara disse...

pode ser até uma péssima descoberta, mas é uma constatação comum pra mim tb.

é, você era uma rebelde sem causa pra mim. Mas digamos quevocê aproveitava a vida do jeito que você sabia aproveitar.

não se lamente por esse passado não volta Anne Beth...que tal construir um novo futuro? A vida é cheia de ciclos, você fechou alguns está na hora de abrir novos.

E no futuro não se entristecerá por uma jovem-coroa Anne Beth amordaçada pelo que poderia ter sido e não foi.

:***